sábado, 31 de dezembro de 2011

Zombei de Deus


Em 2011, eu:

Ri, bebi, cresci, evoluí, me iludi, curti, aprendi, saí, me diverti, mas não morri...
Eu chorei, beijei, sonhei, errei, me decepcionei, zuei, realizei...
Briguei, apaixonei, mudei, dancei, aproveitei, lembrei, fui lembrada, conheci novos amigos e, enfim, VIVI!
Apesar de tudo, não morri...
Daiane de Sousa Albuquerque

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

20º Dia do Jejum de Daniel

Bola de Neve
 
Dois reinos, dois territórios, dois senhores.
Reino da Luz x reino das trevas;
Território do Bem x território do mal;
Senhor Deus-Pai de Seus filhos x senhor e pai de filhos do mundo.

Quem tem sido o senhor da sua vida? A que reino você pertence?

Se você está sujeito ao Reino de Deus, mesmo que seus sonhos ainda não tenham sido realizados, você continua sob a proteção do abrigo de Deus. Nada poderá lhe acontecer sem a devida permissão do Altíssimo.
E, se por acaso, alguma coisa com aparência ruim vier, lá na frente, você verá que foi para o seu bem.

“Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido.” Salmo 91.7

Todavia, para quem abandona o Reino da Luz, já não há segurança. Significa entrada automática no reino das trevas. A partir daí, qualquer escolha que fizer, mesmo que tenha aparência boa, ainda assim, será errada e terá consequências graves no futuro. Sofrimentos, dores e, o pior, morte eterna.

Jesus disse: “Eu sou a Luz do mundo; quem Me segue não andará nas trevas…” João.8.12
Quer dizer: quem não Me segue, andará nas trevas. Que segurança há para os que andam nas trevas?

Por conta disso, muitas pessoas têm arruinado suas vidas com péssimas escolhas de casamentos. Em seguida, se divorciam e se casam novamente. E outra vez, se separam e se casam outra vez. Ou seja, na   busca frenética da felicidade ficam trocando de marido/mulher e jamais conseguem se firmar com ninguém. Ciclo vicioso do inferno.

E o pior de tudo, caminhando nessa estrada, filhos vão sendo gerados à revelia. Que futuro terão estas crianças? Hoje, o pai é um; amanhã, outro; e depois de amanhã, ainda outro…

Tais pequeninos vão herdando essa maldição e passando às outras gerações. Bola de neve.
Quando o espírito não pensa, o corpo e a alma colhem os frutos do inferno.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

19o Dia Jejum de Daniel

                                                                   Equilíbrio da Fé
Obras da carne:
Prostituição - desejo da alma em dar prazer ao corpo físico;
Impureza - revolta da alma contra o que é puro e justo;
Lascívia - excitação da alma à sensualidade; inclinação para o prazer do sexo sem responsabilidade;
Idolatria - reverência da alma às pessoas, dinheiro, coisas ou imagens. Qualquer adoração ou consideração que não seja o Senhor Deus em primeiro lugar;
Feitiçaria - trata-se da prática de rituais que envolvem simpatias, oferendas, despachos, sacrifícios de comidas, bebidas, animais e até de seres humanos a guias ou entidades espirituais. Celebração ou comemoração de dias santos;
Inimizades - sentimentos duradouros de hostilidade, ódio, aversão ou malquerença;
Porfias - discussões, rixas intermináveis, disputas, contendas;
Ciúmes - insegurança causada por suspeita ou receio de rivalidade, no amor ou em outra aspiração, sentimento de fraqueza;
Inveja - desgosto, ódio ou pesar por sucesso ou alegria de outrem, cobiça de algum bem desfrutado por outrem;
Iras - cólera, raiva contra alguém, indignação, desejo de vingança;
Discórdias - desavença, desarmonia, discussão, lutas, brigas, etc.;
Dissensão - ato de divergência, desavença, discórdia;
Facções - rivalidades entre membros religiosos, torcidas rivais, partidos, etc.;
Bebedices - bebedeira, embriaguez, vício de beber;
Glutonarias - ato de comer em demasia, guloso, ultrapassando o limite de absorção do estômago, etc.
“…e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o Reino de Deus os que tais coisas praticam.” Gálatas 5.19-21
Fruto do Espírito Santo
“...o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.” Gálatas 5.22

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

18o dia Jejum de Daniel

                                                                   Patinho feio
Sei muito bem o significado literal do patinho feito. Vivi isso na adolescência, entre colegas da escola, no trabalho e até mesmo na igreja, onde conheci meu Senhor e Salvador.
Graças a Deus pela minha origem simples e classe média baixa. Se não fosse assim, sabe lá Deus onde estaria.
Conheci os dissabores da falta de muitas coisas. Em compensação, conheci os valores da vida humilde, especialmente, quando se tratava da dignidade da palavra empenhada. Meus pais foram meus heróis neste mundo.
Mais tarde, isso me ajudou muito a acreditar na Palavra de Deus. Se eu valorizava a palavra empenhada de meus pais, mesmo sendo humanos falhos, imagine a Palavra que saiu da boca de Deus.
Hoje, ao ver pessoas maltrapilhas, sofridas, injustiçadas e abandonadas lembro do meu passado. Não era esfarrapado, pois meus pais nunca nos deixaram faltar o necessário para nossa educação.
Mas, a bem da verdade, só me sentia mesmo humano, e não um patinho feio, quando estava dentro de casa.
Falo isso por você, meu caro, que sente a solidão e o abandono.
Neste instante, talvez, você se sinta ignorado, vazio, triste e sem chão debaixo dos pés.
Jesus veio para gente como você e eu: patinhos feios da vida. Pessoas simples, perdidas, sobretudo, humildes de espírito. Ele me achou e certamente está lhe achando neste exato instante.
Nem sei porque estou lhe endereçando estas linhas.
Mas creio que o Espírito dEle me tocou, e agora me usa para tocar em você.
Não importa o que você fez ou deixou de fazer; não importam suas carretas de pecados, nem muito menos seu passado triste e vazio. Não importa o que outros pensem de você…
O que importa mesmo é o que Ele pensa de você.
Ele o ama e mostra isso agora envolvendo o seu ser.
Sabe de uma coisa: Ele acaba de achar você agora!
Enquanto você está lendo este texto, o Espírito de Jesus faz cair por terra o peso de suas culpas, acusações, pecados ou passado.
Seus pensamentos mudam, seu vazio se enche.
Nasce um novo dia para você. A tristeza dá lugar à alegria. E nesse momento, você não sabe se chora ou se ri.
Alguma coisa forte está tomando o seu interior. É que o Espírito Santo está operando uma nova vida em você.
Graças a Deus!
Bem-vindo à família de Deus.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Domingo de oração pela família

No último domingo, após a noite da Natal, os membros e obreiros compareceram em peso no Cenáculo de Santa Rosa na primeira reunião de domingo. O Pr Maurício começou com o povo à frente do altar orando pelas famílias. Orou para que todo espírito de confusão e opressão não permanecesse, pois essas características não pertencem ao Espírito Santo.
Após a oração inicial, foi o momento de reflitir em cima da passagem de Mateus 23:

"Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso sofrereis mais rigoroso juízo.
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.

Ai de vós, condutores cegos! pois que dizeis: Qualquer que jurar pelo templo, isso nada é; mas o que jurar pelo ouro do templo, esse é devedor.

Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro, ou o templo, que santifica o ouro?
E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor. "

Nesta passagem Jesus condena a hipocrisia, pois muitos que estão dentro da igreja atrapalham a conversão dos que estão chegando com maus testemunhos.Várias pessoas ensinam, também, servir a Deus de forma errada, não usam de misericórdia para com o próximo, são mentirosos, têm mágoa e por aí vai. Estes esquecem até mesmo de refletir sobre a misericórdia de Deus, pois se não fosse isso, o que seria de nós?

Por causa disso, por detestar a hipocrisia, Deus está à procura de pessoas sinceras, que queiram tornar-se especiais para Deus, para serem usadas por Ele e batizadas, seladas por seu Espírito Santo.

Após a pregação foi o momento de busca, de pedir a Deus o Espírito Santo, o batismo para poder serví-Lo. Em seguida o Pr Maurício orou pela proteção das famílias e os pedidos de oração que foram colocados em cima da mesa para depois poder consagrar as crianças.

Antes de terminar a reunião, o pastor avisou que terá a vigília da virada no sábado e que a Santa Ceia será no domingo, às 18h.

Venha você também começar o seu ano de uma forma diferente, pois no sábado será o término do Jejum de Daniel, quando o Espírito Santo descerá de forma abundante nas vidas dos presentes.

17o dia Jejum de Daniel

                                                                   Ano novo, vida nova?
Essa é a esperança de todo o mundo. Inclusive, crentes em Jesus.
Mas será que o sentimento de esperança é suficiente para se ter uma vida nova no ano novo?
Para responder essa pergunta basta voltar ao passado. Existiam as mesmas expectativas, nessa época, nos anos anteriores. As mesmas esperanças. E o que aconteceu? Nada. Para a maioria foi até pior.
Por quê?
Porque a vida nova não depende de sentimentos, mas da fé em ação. Como?
Voltemos aos tempos bíblicos.
Deus chamou Abraão para construir uma nação separada de todas as demais pagãs. Israel, neto de Abraão, multiplicou-se no Egito e tornou-se um povo numeroso. O Senhor o libertou da escravidão egípcia e dele constituiu uma nação forte e poderosa.
Mas, por conta de sua rebeldia, Israel voltou à condição espiritual de Jacó. Voltou à condição de escravo em terras estrangeiras.
A história se repete. Quando o povo está bem espiritualmente, há paz, saúde e prosperidade. Mas quando está mal com Deus, o diabo deita e rola.
Cerca de 100 anos haviam se passado desde seu regresso à Palestina. Mesmo assim, nos dias do profeta Malaquias, Jacó encontrava-se, espiritualmente, perdido. Seus sacerdotes viviam na corrupção e, por conseguinte, também o povo.
Desonestidade, infidelidade, casamentos mistos, divórcios, idolatrias, feitiçarias, adultérios, juramentos falsos, roubos, enfim, toda a sorte de injustiças era praticada.
E quando clamaram, o Senhor respondeu: “Eu não os destruo porque Eu, o Senhor, não mudo. Vocês se desviaram da Minha Lei…
Mas se vocês voltarem-se para Mim, então Eu me voltarei para vocês.
E vocês perguntam: Como voltaremos para Ti?”

Então, o Senhor dá a receita de uma vida nova no novo ano: Restabelecer a fidelidade nos dízimos e nas ofertas. Malaquias 3.6-12
Claro!
Nenhum casamento pode ser restabelecido sem o princípio da fidelidade conjugal. E o mesmo se aplica no restabelecimento de aliança com Deus.
Neste novo ano, comece agir com fidelidade para com Deus e teste a fidelidade dEle para com você.
Confira você mesmo se a Palavra dEle é verdadeira ou falsa!
Dízimos representam fidelidade. São um sinal de parceria com Deus.
Quando Lhe somos fiéis, Ele é obrigado a corresponder. Por isso Ele promete repreender o amaldiçoador.
Quem quiser vida nova tem de começar ser fiel a Deus com seus dízimos. Do contrário, vai continuar na esperança até a morte.
Há um ditado que diz: manda quem pode; obedece quem tem juízo.
Pense nisto!

domingo, 25 de dezembro de 2011

16o Dia Jejum de Daniel

                                                                   Jesus chuta o pau da barraca da alma
Há quem busque o reconhecimento das pessoas para esfregar o ego da alma;
Há quem viva do glamour do mundo para satisfazer sua alma;
Há quem sacrifica toda a vida na busca da realização pessoal;
Há até quem morra pela glória oferecida pelo mundo.
Mas toda a glória disponível deste mundo vem de baixo e acaba quando a pessoa morre.
Porém, a glória que vem do Alto e Santo Lugar é eterna.
Vem direto da Fonte da Glória e jamais acaba.
Jesus foi glorificado pelo Pai no Seu batismo nas águas e com o Espírito Santo. Naquele dia, ouviu-se uma voz dos céus que dizia:
“Este é o meu Filho amado, em quem Me comprazo.” Mateus 3.17
A vinda do Espírito Santo confirma essa voz no íntimo dos selados com o Espírito.
Nada a ver com sentimentos ou emoções, mas certeza.
Noutra ocasião, com a alma angustiada, Jesus não orou pedindo ajuda, muito menos livramento daqueles momentos.
Antes, enfrentou o sentimento (angústia) da alma com a razão, com uma lição: “E que direi eu? Pai, salva-Me desta hora? Mas precisamente com este propósito Vim para esta hora.” João 12.27-28
Em seguida, chutou o pau da barraca da alma pedindo:
“Pai, glorifica o Teu Nome.”
Em outras palavras: Pai, Eu sacrifico os caprichos da minha alma para que se faça a Tua vontade.
Imediatamente, “veio uma voz do céu: Eu já O glorifiquei e ainda O glorificarei.” João 12.28
A multidão ali presente, tendo ouvido a voz, “dizia ter ouvido um trovão. Outros diziam ter sido um anjo que Lhe falou.”
Contudo, o mais importante é que o Deus-Pai glorificou o Deus-Filho diante de muitas testemunhas.
A presença do Espírito Santo torna possível sacrificar os anseios da alma para se realizar a vontade de Deus. E quando isso é feito, então a glória do Eterno Pai se faz presente nos filhos por toda a eternidade.
Pense nisto!
Deus o abençoe mais.

sábado, 24 de dezembro de 2011

15º Dia do Jejum de Daniel

                                                                   O que você daria em troca de sua alma?
Como os sacrifícios materiais promovem bênçãos materiais, também os sacrifícios espirituais produzem bênçãos espirituais.
Deus tem convidado aos que creem a prová-Lo nos dízimos e ofertas. Em compensação, Ele prometeu abrir as janelas do céu e derramar bênção sem medida. Além de repreender o devorador. Malaquias 3.10
Da mesma forma, Jesus prometeu vida eterna àqueles que negassem a si mesmos, tomassem a cruz e O seguissem dia após dia. Mateus 16.24
Em ambos os casos, há necessidade de sacrifício. Porém, o apóstolo Paulo vai além, quando dirigido pelo Espírito, suplica:
“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” Romanos 12.1
Quer dizer: não há culto racional se não houver sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.
Por outro lado, no culto emocional, apesar do recheio de muita música falando de amor, as pessoas ficam embriagadas de uma sensação gostosa.
Uns confessam sentir a presença de Deus, outros falam em "línguas e até profetizam". Isso sem falar dos que rodopiam, caem no chão e andam de quatro. Seria insignificante se o testemunho de suas vidas fosse uma maravilha. Mas não é! Pelo contrário, é um fracasso total: lares divididos, adultérios, pedofilias, prostituições, mágoas entre si, divisões, enfim, um verdadeiro reino de trevas.
Por quê?
Porque neles não há o culto racional, inteligente ou consciente. Como o Criador vai Se agradar de culto emocional se Ele é Racional, Inteligência e Sabedoria?
O culto emocional é como festa de carnaval. Seus participantes vestem fantasias com direito a máscaras. Isso para camuflar a hipocrisia e as obras da carne. E quem rege essa farsa espiritual?
Na verdade, na ausência do culto racional entra o culto carnal ou emocional.
“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” Gálatas 5.19-21
Interessante que Paulo pede, suplica, roga aos seguidores do Senhor Jesus para que apresentem culto racional, o qual exige o corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Ou seja, que o louvor, a adoração e a contemplação ao Senhor sejam absolutamente conscientes.
Tal culto não está restrito à igreja. Se a pessoa é Templo do Espírito Santo, onde ela estiver haverá louvor, adoração e contemplação.
Na igreja, supostamente, todos estão na mesma fé e no mesmo Espírito. Ali o culto racional é coletivo. Há hinos apropriados, cânticos de louvores e expressões individuais que exaltam o Senhor e Salvador.
Enquanto uns louvam, outros adoram, e ainda outros contemplam a face do Altíssimo. Tudo na mais perfeita disciplina e ordem.
E, por conta dessa liberdade, o Espírito Santo instrui, inspira e dirige o louvor, adoração e contemplação de Seu Filho de forma liberal, espontânea e salutar.

14º Dia do Jejum de Daniel

                                                                   O Reino dos Céus é para quem sacrifica
Talvez o leitor pergunte o porquê da insistência no assunto de sacrifício. Seria mais cômodo não falarmos sobre sacrifício. Não nos exporíamos às críticas, a mensagem ficaria mais leve, atenderia a gregos e troianos e ninguém sairia ferido.
Todavia, como não trabalhamos segundo as regras deste mundo, como não somos mercadores da Palavra, como não vivemos da venda de livros, como não concorremos a cargo político e muito menos estamos preocupados em angariar membros religiosos, optamos por obedecer a inspiração do Espírito de Deus e anunciar a verdade que liberta.
Quem crê, vai. Quem não crê, fique com as virgens néscias.
O fato é: quando o pecado não mata de uma vez, judia do pecador até a morte.
Muita gente, crente ou não, tem gemido e não sabe mais o que fazer para livrar-se disso.
O espírito do pecado tem possuído a humanidade e tem-na conduzido ao caos.
Apesar de muitos conhecerem o Evangelho, ainda assim, um mínimo tem tido coragem para colocá-lo em prática e habitar no abrigo de Deus.
Mas a maioria prefere aderir às mensagens de salvação fácil e assim evitar o sacrifício da carne.
Enquanto isso, espíritos enganadores e anticristãos têm operado livremente, fazendo até o povo que tem crido em Deus, sofrer de forma implacável.
Estes últimos dias, não têm sido muito diferentes dos de João Batista. Naqueles tempos, ele não apenas pregava arrependimento, mas também conduzia os judeus sinceros a confessar e abandonar seus pecados. Mateus 3.1-10
Agora, neste momento, não seria essa a vontade de Deus para sua vida? O que adianta você buscar ajuda de Deus na igreja e lá fora continuar na vida de adultério, prostituição, roubo, mentira, etc.
A quem você pensa que engana?
O que você pensa que vai ganhar?
Até quando vai sustentar esse espírito de pecado em você?
O pecado é um espírito. Quem diz sim a ele, diz sim ao seu espírito.
Como sair dessa prisão?
Sacrificando sua carne até ao ponto dela morrer de fome.
Claro!
Se você sacrifica a carne, onde o espírito do pecado vai habitar?
Se você quer resposta urgente de Deus, então sacrifique urgentemente por Ele. Porém, se não abrir mão da vida de prostituição, adultério, mentiras, roubos, corrupção e tudo o mais que agrada ao diabo, como o Espírito de Deus poderá agir em sua vida?

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

13o Dia do Jejum de Daniel

                                                                  A falta do Óleo
Infelizmente, muitos têm feito do altar um esconderijo pessoal, e não um lugar de constante sacrifício.
Pensam, como consequência de uma consciência cauterizada, que ali estarão “protegidos”, que seu verdadeiro estado espiritual não será revelado.
Como se o fato de estarem no altar fosse uma garantia vitalícia, para que estivessem livres de serem tentados, ou que não precisam mais lutar a cada dia por sua salvação. Triste engano!
Há algumas semanas, ocorreu um episódio que serve de alerta para os que estão nessa posição.
Por não ter nascido do Espírito Santo, a esposa de um pastor o traiu, após sete anos de casados.
Nada lhe faltava. O marido sempre foi dedicado, amigo, parceiro, fiel a Deus e, consequentemente, fiel à esposa. O que mais pode uma esposa querer de um marido?
Mas, sabe-se lá porque cargas d'água, ela virou a cabeça. Agiu movida por um espírito de paixão que a dominou, sem pensar nas consequências de que o preço do pecado é a morte física e/ou espiritual.
Imediatamente, ele a deixou ir. Ela, agora sem chão, sem um provedor, voltou para a casa de seus parentes.
Então, chorando, com remorso, foi pedir ajuda à esposa do líder daquele país. Tentando encontrar o amparo e a segurança que perdeu, ela queria “óleo emprestado”, de quem sabia que tinha. Estava disposta a submeter-se a qualquer trabalho, a qualquer situação que lhe fosse proposta, desde que estivesse próxima a esta “segurança”; a suposta paz perdida.
Esta esposa, querendo ajudar, mas, ao mesmo tempo, não querendo impedir o trabalho do Espírito Santo, lhe disse:
“Você se lembra das cinco virgens néscias? Pois é. No momento da volta do noivo, elas estavam sem azeite em suas lâmpadas. Correndo, foram até as cinco demais virgens sensatas. E elas responderam: não podemos tirar do nosso e dar a vocês, porque será o caso de também faltar para nós. Vão ao mercado, urgente, para comprá-lo. Mas, como não havia mais tempo, ficaram do lado de fora.”
A esposa do bispo, concluindo, lhe disse: “Não posso tirar do meu óleo e dar a você. Busque enquanto é tempo, para que não seja o caso de lhe faltar óleo para o encontro do Noivo.”
Veja que Deus não atua pelo sentimento, não! Ele não terá “pena” daqueles que estarão batendo do lado de fora, na última hora.
Agora, ainda há chance de comprar e ser rica espiritualmente. Ou será que não percebe que o azeite está acabando? Claro, que sim!
Mas por que será que tantos, quando lembram que precisam dele, se veem vazios, sem nenhuma gota? É a falsa segurança em que muitos vivem, perto do altar.
A cegueira espiritual dá a sensação de que podem brincar um pouquinho com a sensualidade, sem correr risco de dar à luz a algum bastardo. Tiago 1.14-15.
Quando pecamos, perdemos os direitos adquiridos. Não adianta reclamar, espernear ou querer se justificar...
Só aqueles que se submetem ao Senhor Jesus e assumem quem são diante de Deus e dos homens, recebem o PODER DE SE TORNAREM Filhos de Deus. Estes, sim, estão aptos a receber o Espírito Santo para não lhes faltar a unção.
A falta do óleo, cedo ou tarde, fará os néscios baterem à porta dos outros.
Viviane Freitas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

12º Dia do Jejum de Daniel




Mensagem para os valentes

Duvido que Deus exija de Seus filhos fé além daquela que Ele já deu!Quem quiser conhecer o limite de sua fé basta medir o grau de sacrifício exercido por ela.
Por isso, Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue (sacrifício), tome a sua cruz (sacrifício) e siga-Me (sacrifício).” Mateus 16.24


É o mesmo em relação ao amor.Quem quiser conhecer a intensidade de amor pela pessoa amada, basta verificar o sacrifício que se faz por ela.O tamanho da fé é medido pelo sacrifício exercido.
Quem não crê, não sacrifica;


Quem crê mais ou menos, sacrifica mais ou menos;


Quem crê 100%, sacrifica 100%.


E não foi esta a resposta de Jesus aos hipócritas?


“Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é O Único Senhor!
Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força.” Marcos 12.29-30


Quer dizer:


Quem crê de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de toda a força, sacrifica de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de toda a força.


Pegou o espírito?


Em outras palavras:


Sacrifica o coração;


Sacrifica a alma;


Sacrifica o entendimento e


Sacrifica a força.


Isso é um fato. Não tem mais, nem menos. Essa é a dura, crua e pura realidade.


Quem quer receber o tudo de Deus (o Espírito de Deus) TEM DE SACRIFICAR coração, alma, entendimento e força, totalmente.


Tudo de Deus pelo nosso tudo.
TUDO POR TUDO!


Quem está disposto a isso?


E tem mais: quem crê não se justifica, sacrifica.


Quem, porém, não crê, procura justificar sua descrença, apresentar razões e culpar os outros.


“Certo homem de posição perguntou-Lhe: Bom Mestre,que farei para herdar a vida eterna?
Sabe os mandamentos: não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe. Ele replicou: Tudo isso tenho observado desde a minha juventude.
Ouvindo-o Jesus, disse-lhe; Uma coisa ainda te falta: vende tudo o que tens, dá-o aos pobres (sacrifício) e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-Me(sacrifício).
Mas, ouvindo ele estas palavras, ficou muito triste, (o sacrifício entristece) porque era riquíssimo.” Lucas 18.18-23


O sacrifício entristece o sacrificante, mas revela sua qualidade de fé nAquele que recebe o sacrifício.


“O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem (sacrifica) e compra aquele campo.” Mateus 13.44


Como se vê, a pura fé é mais questão de obediência à Palavra de Deus.


Fé exige obediência. E a obediência é materializada pelo sacrifício.


Ninguém é capaz de obedecer sem sacrificar.


Abraão foi o maior exemplo de obediência. Hebreus 11.8,17


“Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que a fé sem as obras é inoperante?
Não foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho, Isaque?
Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou, e se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus,(agiu sua fé e sacrificou) e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus.
Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente.” Tiago 2.20-24


Em resumo: fé sem as obras de sacrifício não justifica (não perdoa) ninguém, diante de Deus.


Esta é a razão porque a maioria dos crentes tem sido fracassada, tanto espiritualmente como fisicamente. Eles aprenderam aceitar Jesus como Salvador e não como Senhor, também. Porque se Jesus fosse o Senhor deles, certamente sacrificariam suas vidas para servi-Lo de todo o coração, alma, entendimento e forças.


Portanto, ouvi ó Israel dos últimos dias, Jesus Cristo somente é Senhor e Salvador dos que LHE servem MESMO!


Meu Senhor, tenha compaixão dos sinceros enganados e dá-lhes uma nova chance.


Eu Te suplico em o Nome do Senhor Jesus Cristo!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

11o Dia Jejum de Daniel

                                                                   Sacrifício pela VIDA
A consciência do sacrifício é antiga. Começou no Jardim do Éden. O Altíssimo precisou sacrificar um animal para cobrir a nudez de Adão e Eva, substituindo assim as folhas de figueira, inspiradas pelo diabo.
As folhas de figueira tipificam a pretensão das religiões em cobrir a nudez do pecado sem sacrifício. As igrejas evangélicas, em geral, também fazem isso. Procuram alargar a porta do Reino de Deus com uma doutrina separada do sacrifício.
Não havia outro meio de o Senhor resolver o problema da nudez de Adão e Eva sem a morte do animal? Se houvesse, Ele o teria feito.
Não havia outro meio de salvar a humanidade sem o sacrifício de Jesus? Se houvesse, Ele o teria feito.
Como se vê, o sacrifício não é questão de opção. Desde o momento em que se quer alcançar um objetivo na vida, obrigatoriamente, há que se lançar mão do sacrifício.
O caráter do ladrão recusa o sacrifício. Prefere conquistar pelo sacrifício alheio. Mesmo assim, sem querer, arriscam a liberdade e até a vida para roubar. E não é isso também um sacrifício?
O assassino prefere matar a perdoar e deixar a vítima livre.
O orgulhoso prefere manter sua arrogância a se humilhar e pedir perdão.
Não tem jeito!
Não existe uma única área na vida secular ou espiritual que não se aplique o sacrifício.
Para uma profissão de sucesso, há que se empenhar nos estudos;
Para se ter um salário mensal, tem de trabalhar;
Para se manter um casamento sólido, o casal tem de sacrificar um pelo outro;
Para se ter encontro com Deus, tem de sacrificar a carne;
Para se manter na fé, tem de sacrificar a própria vontade;
Para se alcançar a salvação eterna da alma, tem de sacrificar, dia após dia.
Jesus disse: “… quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida (sacrifício) por Minha causa achá-la-á.” Mateus 16.25
Nas disputas esportivas, os atletas costumam fazer o sinal da cruz antes de entrarem em campo. Ou seja, fazem suas preces para não se acidentarem e lograrem êxito na partida.
Outros apelam aos bruxos e feiticeiros.
O sacrifício era tão necessário e eficiente que, antes das nações entrarem em guerra, seus respectivos sacerdotes faziam oferendas, até de crianças, para alcançarem favores dos deuses.
A história do povo de Israel documenta fatos em que só os sacrifícios o livraram.
Apesar das Alianças, de ser o povo escolhido, de possuir as promessas e, sobretudo, ter nos seus antepassados uma história de fé, fidelidade e compromisso com Deus, ainda assim, na hora dos apertos, ele teve de sacrificar para sobreviver.
Na guerra com os filisteus, Saul, apertado pelas circunstâncias, desobedeceu ao profeta Samuel e ofereceu sacrifício para evitar que seu exército desertasse. I Samuel 13.8-14
Ele não tinha autoridade para executar o sacrifício. Isso era tarefa exclusiva dos sacerdotes. Porém, movido pelo espírito do medo, se apressou em fazê-lo. Por conta disso, Deus Se arrependeu de tê-lo constituído rei.
Naquela altura, o sacrifício feito antes da batalha significava garantia de sucesso. Com essa consciência, os soldados partiam para cima dos inimigos absolutamente certos da vitória. Sabiam que o segredo da vitória estava no sacrifício a Deus.
O diabo e seus filhos odeiam o sacrifício. Nem Jesus falando: “Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me.” Mateus 16.24, os irmaus acreditam.
Quem não estiver disposto a seguir essa regra, nem adianta aceitar Jesus como Senhor e Salvador.
O Senhor Jesus exige os três níveis de sacrifício:
Primeiro: Negar-se a si mesmo;
Segundo: Tomar a sua cruz e
Terceiro: Seguí-Lo.
Qual dos três é mais fácil? Nenhum.
Todos exigem sacrifício, sacrifício e sacrifício.
Quem crê, vai.
Quem não crê, fica para trás, com as virgens néscias. Mateus 25.1-13

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

10º Dia do Jejum de Daniel

                                                                   Os valentes de Davi
O rei Davi possuía uns quarenta homens especiais. Dentre os quais, trinta eram muito especiais e três eram superespeciais.
Os superespeciais eram:
1º - Josebe-Bassebete - filho de Taquemoni, o principal dos três; brandiu sua lança contra 800 e os feriu de uma vez;
2º - Eleazar, filho de Dodô, estava entre os três valentes quando desafiaram os filisteus… Ele se levantou e feriu os filisteus, até lhe cansar a mão e ficar pegada à espada…
3º - Sama, filho de Agé, o hararita. Quando os filisteus se ajuntaram em Leí, havia um pedaço de terra cheio de lentilhas; Israel fugia diante dos filisteus. Pôs-se Sama no meio daquele terreno, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o Senhor efetuou grande livramento.
Também três, dos trinta cabeças, desceram e, no tempo da sega, foram ter com Davi, à caverna de Adulão; e uma tropa de filisteus se acampara no vale dos Refains. Estes três valentes romperam pelo acampamento dos filisteus, e tiraram água do poço, junto à porta de Belém, e tomaram-na e a levaram a Davi.
Abisai, irmão de Joabe, era cabeça de trinta; e alçou a sua lança contra 300 e os feriu. E tinha nome entre os primeiros três. Era mais nobre do que os trinta e era o primeiro deles; contudo, aos primeiros três não chegou.
Benaia, filho de Joiada, era homem valente de Cabzeel e grande em obras; feriu ele dois heróis de Moabe. Desceu numa cova e nela matou um leão no tempo da neve. Matou também um egípcio, homem de grande estatura; o egípcio trazia uma lança, mas Benaia o atacou com um cajado, arrancou-lhe da mão a lança e com ela o matou. Ele teve nome entre os primeiros três valentes. Era mais nobre do que os trinta, porém, aos três primeiros não chegou, e Davi o pôs sobre a sua guarda. 2 Samuel 23
A pergunta é: com qual destes a sua fé se identifica mais?
Ou será que não se identifica com nenhum deles?
Seja como for, o Espírito de Deus está buscando mulheres e homens com este caráter de fé, para estabelecer o Seu Reino no coração dos humildes e sinceros de coração, que têm estado aprisionados nas garras dos filisteus.
Não basta apenas frequentar a igreja e ser fiel ofertante e dizimista. É preciso mais. Muito mais.
Os irmãos de Davi eram homens de guerra e faziam parte do exército de Israel. Mas o que isso adiantou quando Golias apareceu? Nada. Eles se acovardaram e até criticaram Davi por ter fé para enfrentar o gigante.
Assim é a maioria dos crentes. São evangélicos, são cristãos, são fiéis à igreja e ao pastor, mas também são frouxos.
Como o Deus de Abraão, de Isaque, de Israel, de Moisés, de Josué, de Jefté, de Gideão, de Davi e outros mais poderá libertar os prisioneiros de satanás se não houver gente disposta a tudo ou nada?
Gente que coloca todo o coração no Deus de Abraão?
O Espírito de Deus não é para ficar falando em línguas, louvando, cantando e costurando vestes de santos.
O Espírito de Deus tem revestido de Sua plenitude para libertar os oprimidos do inferno. Isaías 61.1 - Lucas 4.18
É por isso que a maioria cristã vive uma qualidade de vida pior do que os pagãos.
Crê em Deus, mas não assume sua fé. Crê nas Suas promessas, mas não têm fé para cobrá-las. Crê na teoria, não na prática.
Por quê?
Porque, no fundo, no fundo, não creem coisa nenhuma. São verdadeiros borra-botas!
Leia, medite e tire suas conclusões nesta palavra:
“Porque, quanto ao SENHOR, Seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-Se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dEle…” 2 Crônicas 16.9
Quem crê, vai.
Quem não crê, que fique para trás com as virgens néscias. Mateus 25.1-13

domingo, 18 de dezembro de 2011

9º Dia do Jejum de Daniel

        Quem ousa desafiá-Lo?
Aquele que é nascido do Espírito, solteiro e livre de qualquer relacionamento afetivo, está em vantagem sobre os demais, que estão presos aos sentimentos do coração.
Digo isso por experiência própria.
Por volta dos meus 20 anos de idade, lembro-me bem, tinha mais tempo para ler a Bíblia, orar e adorar meu Senhor. Entrava no meu quarto, trancava a porta e ali desenvolvia minha comunhão com Ele.
Foi numa noite de sábado, enquanto lia sobre Davi e Golias, um versículo saltou-me aos olhos e encheu-me de gozo inefável. Quando Davi, a mando de seu pai, foi enviado aos seus irmãos para levar-lhes suprimento e saber como estavam. Chegando lá, perguntou a seus irmãos se estavam bem. Estando ainda a falar, eis que ouviu os gritos ameaçadores de um homem do exército dos filisteus.
Golias, por quarenta dias, pela manhã e à tarde, diariamente, desafiava qualquer um de Israel para lutar contra ele.
“Todos os israelitas, vendo aquele homem, fugiam de diante dele, e temiam grandemente.”
Mas Davi, garoto, inexperiente e incapaz de sequer servir o exército, não se intimidou com o tamanho daquele homem de quase três metros de altura, nem de sua armadura especial. O menino-pastor, imbuído de uma fé viva no Deus de seus pais, revoltado com sua afronta, disse:
“Quem é, pois, esse incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo?” I Samuel 17.26
Não há palavras para descrever a alegria e gozo indizíveis que encheram meu ser.
Hoje, passados mais de 45 anos, ainda me lembro disso como se fosse ontem. Parece que o Espírito de Deus estava me convocando para enfrentar o inferno da Babilônia e seu fiel escudeiro, a rede esgoto.
Davi matou e arrancou a cabeça daquele Golias. Mas os espíritos, tanto de Golias como dos filisteus, continuaram na Terra ameaçando os exércitos do Deus vivo de Abraão, Isaque e Israel.
Em compensação, o Espírito de Deus, por meio da IURD, tem levantado pessoas dos quatro cantos da Terra, no mesmo espírito de Davi, para enfrentar os filisteus romanos.
Golias é a rede esgoto a serviço do exército romano.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça, entenda, seja selado com o Espírito de Deus e convocado à guerra.
Quem crê no Deus de Davi, vai conosco.
Quem não crê, continue ligado na rede esgoto para alimentar-se do seu excremento.
Deus abençoe aos que creem.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Música para essa época tão especial: mais um sucesso de Jailson Duque



A Tropa de Elite do Espírito

A Tropa de Elite do Espírito
Já viu como é a preparação de um soldado no exército? A mente, muito além do corpo, recebe treinamento para controlar suas emoções.

Isso é para que, em caso de guerra, não haja qualquer sentimento de pesar para matar o inimigo. Soldado é treinado para destruir os inimigos da pátria.
Mesmo assim, seu treinamento não é o melhor.
Quando se trata de tropa de elite, em cada cem candidatos, apenas uns cinco, no máximo, são escolhidos. Nesse caso, o treinamento é excessivamente duro e severo. A mente é adequada para fazê-los quase insensíveis à dor física. Imagine a insensibilidade com respeito às emoções!
Se o soldado não é capaz de vencer suas emoções e fraquezas pessoais, como poderá enfrentar e vencer o inimigo? Se não vence seu interior, como o fará no seu exterior?
Creio que a filosofia da tropa de elite não é para morrer lutando. Mas para vencer lutando.
No Reino de Deus não é diferente. Todos os nascidos do Espírito Santo fazem parte da Tropa de Elite Celestial. Nenhum filho é mais fraco do que o outro. Todos têm o mesmo DNA Divino, o mesmo Espírito, o mesmo poder…
Não é o que temos crido? Que “Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” 2 Timóteo 1.7
É claro que nem todos têm tido disposição para expor a própria vida pela fé. No passado foi assim, no presente é assim e no futuro também o será.
Mas há alguns que excedem. Não medem esforços no sacrifício da sua vida por aquilo que creem.
A exemplo dos gaditas que ajudaram Davi, diz a Bíblia que eram “homens valentes, homens de guerra para pelejar, armados de escudo e lança; seu rosto era como de leões, e eram eles ligeiros como gazelas sobre os montes... O menor valia por cem homens, e o maior, por mil." I Crônicas 12.1-14.
Deus não poupou poder aos fiéis do passado e nem o faz no presente. Ele tem armado Seus filhos de tal forma que não há chance de os inimigos da cruz prevalecerem.
“Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas...” 2 Coríntios 10.4
Os nascidos do Espírito de Deus nunca perdem. As supostas perdas, fracassos, frustrações e decepções nada mais são do que o preparo da Tropa de Elite do Espírito de Deus.
Tudo coopera para o bem deles! Tudo…
Quando ganham, se alegram com a vitória. Aleluia!
Quando perdem, choram, lamentam e resmungam. Só por enquanto.
Lá na frente, descobrem que ganharam também. E aí, é correr para o abraço!
A morte, os demônios, o inferno, o diabo e seus filhos se mordem de raiva por ver-nos felizes, alegres e radiantes, mesmo diante dos vendavais da vida.
Os filhos de Caim morrem de inveja da gente. Quem manda não sacrificar como os filhos de Abel?
KkKKKKKKKKKKK
Portanto, ganhando ou perdendo, os nascidos de Deus sempre ganham!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Seja cheio do Espírito Santo nesse domingo

 
 

Ana Claudia relata como a sua vida foi transformada após ter um encontro com Deus

Da redação
redacao@arcauniversal.com

Muitas pessoas procuram preencher o vazio da alma com o uso de drogas e bebidas. Outras procuram isolar-se dos amigos e familiares, pensando ser este o melhor caminho para enfrentar os problemas. Há ainda aqueles que tentam enganar a tristeza frequentando festas e saindo com os amigos; porém, quando se veem totalmente sozinhos, percebem que a solidão permanece e com ela uma imensa frustração.

Carregando esse sentimento na alma, Ana Claudia Pazzinato relata que por muito tempo tentou encontrar saídas para se livrar do vazio que sentia. Ela diz que em uma  noite de festa se envolveu com um rapaz e engravidou. Eles se casaram, mas um ano depois o esposo morreu, o que a fez entrar novamente em desespero.

Frequentadora do Cenáculo do Espírito Santo, a mãe de Ana a convidou para participar de uma reunião de fé. Foi aí que a jovem percebeu que a vida poderia mudar.  Ela teve um encontro com Deus, e o vazio que sentia deu lugar a uma grande alegria.

Acompanhe:



Se você precisa da presença de Deus, venha participar de uma reunião na Igreja Universal do Reino de Deus, neste domingo, e seja revestido pelo poder do Espírito Santo.

Testemunho 7o dia do Jejum de Daniel


7º Dia do Jejum de Daniel

De carne para espírito


Esta foto eu tirei em novembro deste ano, em nossa estada no Sinai
Por conta da hipersensibilidade da natureza humana às emoções, fica difícil renunciar os desejos da carne.
O conflito entre espírito e carne tem feito vítimas fatais.
Pior: vítimas fatais para toda a eternidade.
Quantos relacionamentos amorosos têm culminado em morte? Quantos suicídios? Quantas vítimas? Por quê?
Simplesmente porque as pessoas sensíveis se rendem aos caprichos dos sentimentos. Tornam-se reféns da voz do maldito coração enganador. Tem sido tão forte que nem se dão ao trabalho de raciocinar por um só momento.
Pensam que aqueles momentos de profunda tortura jamais vão cessar. Pensam que o "amor" perdido significa o fim de sua vida.
Mas como o tempo é senhor da razão, mais tarde descobrirão o quão tolas foram; se amofinaram à toa e perderam tempo precioso.
Enquanto se derretiam em prantos, o diabo ria gostosamente...
Por isso a grande necessidade de se ter a natureza adâmica transformada em celestial, de alma vivente em espírito vivificante, de emocional para racional, de nascido da carne para nascido do Espírito.
Diante disso, o cristão não estará mais em desvantagem na luta contra Satanás, nem contra o pecado. Pois, o diabo sendo espírito leva vantagem sobre quem vive na carne. Mas quando o cristão é espírito, e o que é melhor, espírito com o DNA do Espírito Santo, aí, já era para o diabo e todo o seu inferno.
Não há a mínima chance de perder. É obrigado a vencer tudo!
Vence o diabo, vence os problemas sentimentais, vence os vícios, vence o orgulho, vence o pecado, vence o mundo, enfim, vence tudo porque é filho de Deus e tem o Seu poder em si.
É justamente o que o apóstolo João ensina:
“…porque todo o que é nascido de Deus (é espírito) vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé." I João 5.4
"Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus (é espírito) não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca.” I João 5.18
Bahh!!! Isto é trilegal, como dizem os gaúchos...

Testemunho 6o dia Jejum de Daniel

6º Dia do Jejum de Daniel

                                                        Sete Espíritos
Deus compreende perfeitamente o problema de cada um. Daí o derramamento do Seu Espírito sobre todos os que O buscam.
Os Sete Espíritos, mencionados no livro de Isaías, não significam Sete Espíritos Santos. São atribuições que identificam o Poder do Espírito de Deus. Nada Lhe falta e nada Lhe pode ser acrescentado. Ele é absolutamente perfeito.
Na profecia:
“Repousará sobre Ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor.” Isaías 11.2
Cada virtude totaliza a Plenitude do Espírito Santo, que repousaria no corpo físico de Jesus. Ele reuniria todas as condições necessárias para suportar os trancos do inferno durante Sua missão terrena.
NEle estaria o Senhor, a Sua sabedoria, o Seu entendimento, o Seu conselho, a Sua fortaleza, o Seu conhecimento e o Seu temor.
Essa plenitude em Jesus é exatamente a mesma que o Espírito Santo continua realizando nos Seus filhos. Estes também têm o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento e de temor.
Significa dizer que não há nenhum problema humano que esteja fora do alcance das sete virtudes do Espírito Santo.
Do Senhor, de Sua sabedoria, de Seu entendimento, de Seu conselho, de Sua fortaleza, de Seu conhecimento e de Seu temor do Senhor há solução para todos os problemas na face da Terra.
Inclusive para o seu!
É verdade que ainda não chegamos “à unidade da fé e do pleno conhecimento do Senhor Jesus Cristo, à perfeita varonilidade, à medida da estatura de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.” Efésios 4.13-14.
Mas isto não significa dizer que a plenitude do Senhor Jesus já não esteja em nós.
O homem pode ser o mais rico do mundo. Seus filhos menores têm a mesma riqueza. Porém, só tomarão posse delas quando estiverem na idade adulta.
Por isso, os filhos de Deus precisam amadurecer na fé.
A plenitude do Espírito está nos Seus filhos e servos. Mas nem todos estão aptos para, sequer, compreender tamanha grandeza devido sua infantilidade espiritual.
Ensinar isto aos filhos da carne é como lançar pérolas aos porcos.
Resumindo: da mesma forma que a Plenitude do Espírito Santo habitou em Jesus, também acontece com os nascidos e selados de Deus.
Por conta disso, toda e qualquer oferta de sacrifício que o ser humano fizer para receber o Espírito de Deus é desprezível diante da Oferta devolvida por Deus. É o tudo de Deus pelo desprezível nosso.
Quem pode entender esse mistério glorioso?
Quando isso acontecer, então se cumprirá a palavra “do SENHOR dos Exércitos: Ainda sucederá que virão povos e habitantes de muitas cidades; e os habitantes de uma cidade irão à outra, dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do SENHOR e buscar ao SENHOR dos Exércitos; eu também irei. Zacarias 8.20-23
Virão muitos povos e poderosas nações buscar em Jerusalém ao SENHOR dos Exércitos e suplicar o favor do SENHOR.
Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Naquele dia, sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla da veste de um judeu e lhe dirão: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.”

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Pára ou continua??



 Neste Domingo dia 18/12/2011 às 15:30h haverá um grande evento no Cenáculo de Santa Rosa. Convocação de todos os Jovens de Niterói.

Frequência Jovem " O Desafio!" 
E Você?? Vai ficar fora dessa??

End.: Rua Santa Rosa, 151 - Santa Rosa/ Niterói


 

 O Coordenador do Força Jovem Rio de Janeiro manda um recado a todos os jovens do Rio! 
Confira você também! 
E ai?? Pára ou Continua??
Esapada pelo Senhor! 
Espada pelo Força Jovem!




quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Testemunho 5o dia Jejum de Daniel

5º Dia do Jejum de Daniel

                                                        As Duas Ofertas
A Arca da Aliança foi tomada pelos filisteus na guerra contra Israel. Ela simbolizava a Glória de Israel. Durante os 7 meses em que esteve entre os filisteus, ela trouxe doença, morte e praga no meio do povo.
A Arca da Aliança era sagrada. Representava a presença de Deus no meio do Seu povo, da mesma forma como os dízimos e ofertas. Quem os retém fica sujeito ao espírito da maldição.
Por isso, quando Deus fala para Seu povo trazer os dízimos e ofertas à Sua casa, logo em seguida, Ele garante repreender o devorador. Isto é, a maldição ou a praga que tem consumido os ladrões.
Pressionados pela maldição de reterem a Arca, os filisteus resolveram devolvê-la para Israel. E consultaram seus sacerdotes e adivinhadores para saber como deveriam fazer essa devolução.
Mesmo sendo servos do mal, eles tinham consciência de que, sem oferta pela culpa, a praga não cessaria.
Naquele caso, responderam: “Segundo o número dos principais dos filisteus, 5 tumores de ouro e 5 ratos de ouro, porquanto a praga é uma e a mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos príncipes. Fazeis imitações de vossos tumores e dos vossos ratos que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel…” I Samuel 6.1-5
A oferta de sacrifício pela culpa é obrigatória.
O rei Davi também teve de sacrificar para remover a maldição da praga que havia caído sobre o povo de Israel.
Deus teve de sacrificar Seu Filho Jesus para remover a praga do pecado sobre a humanidade.
Quem quiser ser cheio do Espírito Santo tem de sacrificar sua vontade, seus desejos e sua própria vida para recebê-Lo.
Esse tipo de oferta é uma manifestação de fé que impõe obediência.
A pessoa crê, sacrifica e é livre da maldição por obediência ou, então, sofrerá as consequencias da maldição pela desobediência.
A oferta de sacrifício tem de acontecer. Se não for feita para o benefício pessoal de salvação eterna, o será para o malefício da perdição eterna.
A bênção vem pela obediência à Palavra de Deus com sacrifício. A maldição vem por conta da desobediência à Palavra de Deus.
Uma coisa é certa: Obedecendo ou não a Palavra de Deus, o sacrifício sempre estará presente. Para a salvação ou para a perdição.
Quem sacrifica, obedece; quem obedece, sacrifica e é salvo. Quem não sacrifica, desobedece; quem desobedece, não sacrifica e será sacrificado no Lago de fogo e enxofre.
Já a oferta espontânea é inspirada pelo Espírito de Deus.
Ao contrário da oferta pela culpa, quando há troca, a oferta inspirada pelo Espírito envolve pureza e grandeza de espírito. É a mais pura expressão de amor, desprendimento e confiança em Deus.
O ofertante dá sem esperar nada em troca. Dá pela fé, pelo amor… Dá com inteira alegria. É chamada de oferta liberal porque é inspirada por Deus.
O próprio Espírito Santo, por meio de Paulo, ensina a respeito desse tipo de oferta, quando diz:
“Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” 2 Coríntios 9.7
Quer receber a plenitude de Deus?
Então, sacrifique a sua plenitude para Ele.
É tudo por tudo.
Quem crê, amém. Quem não crê, paciência.
Obs. Os textos têm sido mais longos porque acredito que os internautas têm mais tempo para ler, reler e meditar.
Deus os abençoe.

4º Dia do Jejum de Daniel

                                                       Nascer do Espírito Santo e batismo no Espírito Santo

Duas coisas distintas. Mas o batismo no Espírito depende do nascer do Espírito.
A campanha do Jejum de Daniel tem como objetivo atender a dois pontos:
Primeiro, levar os sinceros ao novo nascimento.
O nascimento do Espírito Santo.
“Mas, a todos quantos O receberam (Jesus), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus (Espírito de Deus).” João 1.12-13
Jesus disse: “O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.” João 3.6
Segundo, levar aos nascidos de Deus o batismo com o Espírito Santo.
“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar… Todos ficaram cheios do Espírito Santo…” Atos 2.1-4
Os que foram cheios do Espírito Santo, no dia de Pentecostes, já tinham nascido de Deus.
O apóstolo Paulo só teve autoridade para impor as mãos e ministrar o batismo no Espírito Santo quando teve certeza de que aqueles discípulos já haviam nascidos de Deus. Veja o relato:
“Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes? Ao que lhe responderam: Pelo contrário, nem mesmo ouvimos que existe o Espírito Santo. Então, Paulo perguntou: Em que, pois, fostes batizados? Responderam: No batismo de João (batismo nas águas).
Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse nAquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus. Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam.” Atos 19.2-6
Os que vivem no pecado podem receber o batismo com o Espírito Santo?
Podem os escravos do pecado receber o Espírito Santo?
Não, não e não!
Como Jesus vai encher do Seu Espírito alguém que vive e gosta do pecado?
É como se o Justo apoiasse a injustiça.
Primeiro, eles têm de morrer para o pecado ou se arrepender do mesmo.
Segundo, eles têm de clamar ao Senhor Jesus pela salvação.
Após essas atitudes de fé, o Espírito Santo, vendo a disposição e sinceridade dos candidatos, vem e realiza o milagre do novo nascimento.
Veja como foi no passado:
Depois de o apóstolo Pedro ter apontado seus pecados, os judeus lhe perguntaram: “Que faremos, irmãos?
Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado (nas águas) em Nome de Jesus Cristo para remissão (perdão) dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” Atos 2.37-38
Quer dizer: primeiro vem o arrependimento (novo nascimento); em seguida, o dom do Espírito Santo (batismo no Espírito Santo).
Arrependimento não é sentimento de remorso.
Arrependimento é reconhecer o pecado, abandoná-lo imediatamente, odiá-lo e fugir dele.
Repito: O batismo no Espírito Santo só acontece depois do novo nascimento.
Pode a pessoa sincera nascer do Espírito e, logo em seguida, receber o batismo com o Espírito Santo?
Claro!
Agindo Deus, quem O impedirá?

Testemunho do 4o dia Jejum de Daniel

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

3a feira: um dia para tirar o que não te faz bem


Cada vez mais pessoas têm sido atormentadas com problemas de ordem espiritual. Visão de vultos, audição de vozes, doenças, vícios, inveja, entre outros males, vêm fazendo muitas vítimas. Se você está passando por situação semelhante, saiba que Deus tem o poder dar um fim ao seu sofrimento. A Sessão do Descarrego, que acontece às terças-feiras na Igreja Universal do Reino de Deus, foi criada com o objetivo de lutar contra as forças espirituais do mal. 

 
Nestas reuniões, são feitas orações fortes para a quebra da maldição e, com isso, milagres ocorrem constantemente a cada encontro. Na ocasião também estaremos buscando o Espírito Santo.

Venha conferir uma de nossas reuniões.
Os horários são:07h, 10h, 15h e 19:30h.


Testemunho do 3o dia Jejum de Daniel

3º Dia do Jejum de Daniel

O caráter de Deus
“Quase todos são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de alguém, dá-lhe poder.” Abraham Lincoln
O caráter de alguém diz respeito à sua moral, índole ou modo de ser e agir.
Somente os nascidos do Espírito Santo são habilitados para manifestar o caráter de Deus. Isso porque Seus filhos tornam-se espíritos. João 3.6
A natureza emotiva ou carnal é transformada em natureza racional ou espiritual.
Por essa razão, muitos não entendem o motivo pelo qual são fiéis à igreja ou até mesmo religiosos e, ainda assim, não conseguem ter um comportamento compatível à fé cristã.
Na igreja são uma coisa; distantes dela, são outras criaturas.
Na igreja são santas, educadas e, aparentemente, espirituais.
Em casa, no trabalho ou entre amigos são carnais, grossas e, visivelmente, perturbadas.
Isso acontece porque não nasceram do Espírito Santo. Não têm a natureza de Deus. São convencidas, mas não convertidas. O caráter de cada um fala por si.
A natureza humana é emotiva e teve início com Adão e Eva. Deus os criou almas viventes.
A natureza Divina é espiritual e teve origem com Jesus. Ele não foi criado por Deus, mas gerado pelo Espírito de Deus. Portanto, espírito vivificante. I Coríntios 15.45
O mesmo processo realizado pelo Espírito de Deus para o nascimento de Jesus tem de acontecer com cada discípulo de Jesus. Do contrário, continuarão com a velha natureza adâmica. E o pior: não serão considerados como filhos de Deus. João 1.13
Daí a grande função do Espírito Santo:
Para uns, Ele vem fazê-los nascer de novo.
Para os já nascidos de novo, Ele vem carimbar com o Selo de Deus.
Esse é o batismo realizado pelo Senhor Jesus.
Os primeiros apóstolos nasceram de novo quando Jesus soprou sobre eles o Espírito Santo. João 20.22
Mas só no dia de Pentecostes eles foram batizados com o Espírito Santo. Atos 2.1
Como se vê, a grandeza da vinda do Espírito Santo não é para se falar em línguas. Mas para manifestar o mesmo caráter do Seu primeiro Filho: Jesus.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Testemunho 2º Dia


Jejum  de Daniel -A garantia da Mudança
Aline Souza



Se você também tem um testemunho como este, Comente!
Ou nos envie um Email: iurdsantarosa151@hotmail.com

2º Dia do Jejum de Daniel

Línguas estranhas
Quando se fala em batismo no Espírito Santo logo vem à mente crente o falar em línguas.
Não há sede de Deus, nem desejo de mudar de vida e muito menos em querer servir como templo do Espírito de Deus. Mas só vontade de falar em línguas.
Essa cobiça "santa" não tem nada a ver com Deus. Antes, é pura manifestação de vaidade estimulada por espíritos enganadores. Estes pegam carona no espírito da emoção, e se aproveitam para iludir os incautos com sensações estranhas que culminam em falas estranhas.
É por isso que muitos estão na onda do cai-cai e do andar de quatro, como leão de zoológico.
Essas e outras aberrações têm acontecido justamente por falta do Espírito da Verdade.
O desejo do batismo no Espírito Santo não pode, em hipótese nenhuma, ter como objetivo o falar em línguas. Se falar, a exemplo bíblico, amém. Se não falar, qual o problema? O Espírito de Deus não está sujeito às línguas estranhas. A falta do falar em línguas não pode servir como motivo de dúvida para o impedimento da ação Divina.
O batismo no Espírito Santo não é para falar em línguas, mas para habilitar os servos de Deus a fazerem Sua vontade e realizarem Sua obra.
Além disso, num mundo podre e hipócrita, repleto de ofertas camufladas do inferno, como discernir o bem e o mal?
Como saber quem é quem para namorar e casar, segundo a vontade de Deus?
Em qual área profissional serei mais útil no Reino de Deus?
Qual igreja é de Deus?
Como discernir o falso do verdadeiro homem de Deus, se todos falam ou pregam em Sua Palavra?
Como separar o joio do trigo?
Como reconhecer a voz de Deus e a do diabo?
Essas e outras dúvidas são claramente dirimidas com a direção do Espírito Santo.
Quem melhor do que Ele para guiar Seus filhos a toda a verdade?
O Senhor Jesus disse: “ …quando vier, porém, o Espírito da Verdade, Ele vos guiará a toda a verdade…” João 16.13
Ó meu Deus e meu Pai, em o Nome do Senhor Jesus, guarda Teu povo dos espíritos do anticristo e do engano.
Amém.

Segunda-feira: vida profissional X sabedoria

"E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor "(Isaías 11:2).

Quando buscamos o Espírito Santo, o Senhor Jesus nos concede também sabedoria e entendimento, qualidades determinantes para o sucesso na vida profissional e empresarial. ´No dicionário, um dos significados da palavra sábio é "pensador que se distingue pelo grande saber, pela experiência do mundo e por uma vida exemplar."

Nada como ter sabedoria decorrente de experiências com Deus aliadas às experiências de vida. Muitas das vezes por causa das dívidas, das pessões e pela inexperiência tomamos atitudes precipitadas que põem tudo a perder. Vendo essa necessidade, todas as segundas-feiras no Cenáculo de Santa Rosa tem uma reunião voltada para essa área.

Venha nos fazer uma visita 
Hoje às 19:30h, a nossa reunião principal. 
Você não se arrependerá!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Testemunho do Jejum de Daniel: Espírito Santo, a garantia da mudança

Domingo:início do jejum de Daniel

A reunião no Cenáculo de Santa Rosa começou com imensa alegria em virtude do 1o dia do Jejum de Daniel. Todos estavam na expectativa aguardando por esse período de santificação, de maior comunhão com Deus.

Esse período é propício à busca do Espírito Santo, àqueles que não são batizados alcançarem o batismo, ao fortalecimento da fé, à renovação da vida espiritual, entre muitos outros motivos que fazem as pessoas se lançarem nessa campanha.

O foco da reunião de hoje foi o Jejum de Daniel, e para pregar sobre a campanha, o Pr Maurício falou de Apocalipse 12:11:

E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.
Com esse versículo ele levou a todos refletirem sobre sua condição de seguidor de Cristo. Jesus derramou o seu sangue na cruz para que tivéssemos vida. Para termos essa plenitude em nossas vidas faz-se necessário que nos desliguemos do mundo e busquemos o Espírito de Deus.  Por isso é importante essa campanha, pois nos 'desligamos' nessa fase de qualquer coisa que possa distrair nossa atenção dos caminhos de Deus. Assim, estamos aptos a ter um encontro com Deus. Esse encontro é que faz a pessoa permanecer até o fim. Através do Espírito Santo a pessoa tem o seu interior transformado, e após essas palavras o Pr Maurício chamou à frente quem queria ser batizado no Espírito Santo, quem queria ter uma experiência com Deus.

No momento da busca, os obreiros rodearam as pessoas e buscaram a força de Deus. Após esse momento ele consagrou dois casamentos e uma aniversariante. Após a oração, foi a vez da consagração das blogueiras, que passaram um vídeo com as imagens dos profetas que oraram e abençoaram o óleo que foi derramado sobre elas.

Na oportunidade, ele pediu que os membros trouxessem os seus familiares para serem ungidos no próximo domingo com esse óleo. Traga você também os seus familiares no próximo domingo.

sábado, 10 de dezembro de 2011

1º Dia do Jejum de Daniel

                                                       E os céus se abrem...

“Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se Lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre Ele.” Mateus 3.16
Não é para curioso ou aventureiro, nem para hipócrita, religioso ou carnal.
O Espírito de Deus é para os vazios, carentes e, sobretudo, sedentos da direção Divina. Para andarilhos em busca de algo superior a tudo o que este mundo tem oferecido.
Tudo bem. Jesus veio para uma missão especial. Mesmo assim, precisou pagar o preço. Sacrificou. Renunciou família, juventude, namoro e amizades para realizá-la. E se Ele precisou da direção do Espírito Santo para cumpri-La, imagine aqueles que desejam fazer Sua vontade e realizar a Sua obra!
Mas o melhor de tudo é que, antes mesmo de receber o Espírito Santo, Sua mente e coração já eram inspirados por Ele.
O mesmo acontece com todos os imbuídos na fé deste jejum de Daniel.
Você pensa que seu grande desejo de receber o Espírito Santo veio do nada? Não! Mil vezes, não!
Ele nasceu dentro de você por obra do próprio Espírito de Deus.
“...porque Deus é Quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade.” Filipenses 2.13
Por conta disso, assim como os céus se abriram sobre Jesus, também os mesmos céus se abrem sobre você para receber o Mesmo Espírito de Deus.
Afinal de contas, Ele é a promessa do Senhor Jesus para os Seus seguidores.
Provavelmente você não veja uma pomba descendo sobre sua cabeça, nem sinta coisa nenhuma ou nem mesmo fale em línguas estranhas. Não importa. Nada disso é relevante.
O importante é: se há renúncia total do mundo (jejum mental), e sinceridade na busca, então há fé. E se há fé, os céus já estão abertos sobre a sua cabeça.
Além disso:
“Os olhos do SENHOR passam por toda a terra, para mostrar-Se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dEle…” 2 Crônicas 16.9
Observação: Neste momento, procure um lugar isolado.
Em seguida, faça essa oração:
Meu Deus e meu Pai, em o Nome do Senhor Jesus Cristo, eu entro na Tua presença para buscar e receber a promessa que diz que nos últimos dias o Senhor derramaria o Teu Espírito sobre toda a carne.
João Batista ensinou que o Senhor Jesus é Quem batiza com o Espírito Santo. Então eu te suplico, meu Senhor, meu Salvador e meu Deus, batiza-me AGORA COM O TEU ESPÍRITO!
Amém.

Pesquisar este blog